Olhos púrpura são raríssimos, mas existem.

O olhar púrpura de Lyhty.

“Os cabelos longos e soltos embaraçavam-se com inúmeras tranças adornadas com pedras e miçangas cintilantes. Tinha o rosto pálido e ovalado com queixo pontudo e bem definido. Seus olhos tinham uma estranha cor púrpura-azulado nunca antes vistos, de uma clareza cristalina. A menina era muito bonita e qualquer homem notaria isso. Com Constantin não foi diferente.”

trecho do livro – O Saotur

O-Saotur-NSMoraes-E-Book-eReader-na-Tablet

Quem já leu ou está lendo “O Saotur”, conheceu a personagem Lyhty Morken Fin que aparece logo no primeiro capítulo. A personagem é dona de um belo olhar púrpura e seus olhos violetas encantam o forasteiro, Constantin. Pois então, acredite se quiser, mas olhos de cor púrpura existem.

Essa estranha cor é consequência de uma rara composição de melanina e pigmentação. Por muito tempo, essa cor foi motivo de discussão, trazendo mitos e crenças de todos os tipos. Alguns acham que os olhos violetas (ou púrpuras) acontecem só em casos de albinismo. Outros dizem que a cor é resultado de uma mutação genética conhecida como Gênese de Alexandria.

No livro, a personagem Lyhty tem a cor dos olhos muito parecida com as estranhas chamas das lamparinas do lugar no qual vive. Uma curiosidade é que o nome “Lyhty” em finlandês significa “lanterna”.

E se você ainda não leu “O Saotur”, fica aqui o convite junto com o link para o e-book na Amazon. Lá você pode ler o primeiro capítulo gratuitamente, conhecer Lyhty Morken Fin e adquirir o e-book completo.

Até a próxima.